quinta-feira, 15 de setembro de 2011

As amarras

Muitas vezes estamos presos a amarras que já nem nos lembramos como surgiram.
Alguém já viu a cena abaixo? É real. Muitas das vezes as amarras que nos aprisionam são amarras dentro de nós mesmos. Acostumados a viver apegados, nos mantemos assim mesmo perante a possibilidade de ser livres.

Normalmente justificamos a nossa condição pelo que o meio nos impõe. Verdade, o meio nos coloca muitas amarras! Mas, o recuo perante a oportunidade de sermos livres está somente dentro de nós. É como se na imagem o cavalo justificasse continuar no mesmo lugar por causa da CADEIRA. Temos a tendência ao conforto. A zona de conforto, tão falada pelos psicólogos é Extremamente Confortável! E ali ficamos muitas das vezes. E isso é natural. Precisamos das nossas certezas, das nossas rotinas, do nosso “porto seguro”. Mas não podemos usar tudo isso, como justificativa para ficarmos no mesmo lugar. Aqui e agora é bom, mas quem disse que o ali e daqui a pouco também não é?
Temos que nos dar a liberdade de achar novos equilíbrios, novas zonas de conforto, alcançar um degrau mais acima nesta escada da vida.
Vamos criar uma paixão pela nossa própria vida, pelo mundo em que nos inserimos. Não vamos torna-lo menor, vamos expandi-lo, agregar pessoas, fatos, conhecimentos. Vamos aproveitar nossa liberdade ao máximo para evoluirmos como pessoas.
Reinventar-nos a cada dia. E, se não gostarmos do que nos tornamos, somos livres para mudar de novo. Vamos esquecer a cadeira por um tempo, vamos ser responsáveis pela nossa mudança interna e levar o nosso mundo a um novo degrau. Com certeza não vai agradar a todos, mas o importante é que tem que agradar a você. Depois disso, tudo fica mais fácil.
Como diria Lulu Santos, o tempo voa, vamos ter habilidade para dizer mais sim do que não e vamos nos permitir!!
video

19 comentários:

  1. Adorei o texto.
    É bastante verdadeiro. Todos temos nossas amarras e várias delas parecem confortáveis e nem são mais, na realidade.
    Abs,

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto. É uma realidade! Muitas vezes nos acostumamos com as amarras, que acreditamos que é normal, rotina da vida. O ser humano ter muita dificuldade de aceitar mudanças, prefere sempre ficar na zona de conforto, mesmo que esta não seja agradável.

    ResponderExcluir
  3. Adorei os textos e o blog, Fernando!! Sobre o de cima, existem mtas formas de amarras e a palavra pode ser empregada de diversas formas tb!! Mas, o importante é sermos felizes, né??

    Bjinhossss procê,
    Camila.

    ResponderExcluir
  4. "Querer-se livre é também querer livres os outro." :)

    ResponderExcluir
  5. As amarras nada mais são do que o comodismo que cada um se propoe. As pessoas precisam dizer menos "está bom" quando no fundo quer dizer mais ou menos, porque quanto mais repetidos que o mais ou menos está bom, mais nos conhecemos disso. E, esquecem de buscar o ótimo!
    ;-)

    ResponderExcluir
  6. Seu texto me fez refletir, pensar, muitas vezes essas amarras são confortáveis, mas nos fazem perder o melhor da vida, o inesperado...
    Beijos,
    Dea Llago.

    ResponderExcluir
  7. Fernando seu texto diz tudo o que sinto, mas vou melhorar, obrigada pela oportunidade de me convidar para ler seu blog que é lindo, bjos

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. As amarras, assim como o fado, podem ser um destino. Se possuirmos com equilibrio, os 3 valores k compoem o ser humano ideal : Fisico, moral e intelectual iremos perceber tais amarras.
    Lamentamos não saber transmitir aquilo q conseguimos fazer sentir....

    Pabro Neruda diz: "Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o escuro ao invés do claro e os pingos nos is a um redemoinho de emoções, exactamente a que resgata o brilho nos olhos, o sorriso nos lábios e coração ao tropeços."
    ...Evitemos a morte em suaves porções, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples ar que respiramos.Somente com infinita paciência conseguiremos a verdadeira felicidade."

    As amarras tb são uma morte lenta e não podem impor o passo!! Então, livremo-nos de nossas amarras... Viva e se deixe viver...
    Dê a vida intensidade q desejar. Será sempre mais!

    ResponderExcluir
  10. Obrigada pelo seu carinho em postar tão lindo texto,Fernando.

    Vivamos com intensidade todos os dias, e façamos deles,indescritíveis!! Bebamos até da ultima gota de cada dia, e apreciemos cada pedacinho de luz que tanto o dia quanto a noite nos oferece.. e mesmo não sabendo se vamos ou se não vamos mudar, continuemos vivendo intensamente, pois é um dos melhores caminhos para buscar a felicidade!!
    Um beijo no seu coração <3

    ResponderExcluir
  11. Já tinha visto essa imagem e achei fantástica na época. Ilustrando sua crônica, NEM SE FALA FERNANDO!!!
    Concordo em Gênero e letra. Bjim!

    ResponderExcluir
  12. Você resumiu o meu dia de ontem :)
    Mergulha no que te dá vontade. Que a vida não espera por você! bjs e parabéns pelo blog

    ResponderExcluir
  13. verdade "verdadeira"..rsrsr...acho que é uma tendencia nossa essa coisa de acomodar na zona de conforto e permitir que tudo ou qualquer coisa seja um empecilho pra mudança. Mudar nao é facil, isso eu garanto!!! Parabens pelo texto Fernando e la vou eu me reinventar pra esse novo dia!!!

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Não adianta,se estamos amarrados a alguma coisa,
    não dá para ir adiante.
    A corrente pode até nos levar de um lado para o outro,as tempestades nos atingirem e até mesmo o sol e lindas noites de lua,mas não saímos do lugar.
    São as amarras da vida"
    Olha meu amigo não existe nada mais verdadeiro do que o que está escrito neste texto. O que eu conheço de gente que nunca deixou o cais,nunca teve o prazer de se deixar levar pelas águas mansas (ou não) de um rio, nunca se aventurou nos ares... é uma multidão que não dá para contar.

    Mostras o caminho,aprende quem quer, certo?

    Adorei,continue assim,ok?
    Um lindo caminhar...Paz e Luz!!!

    ResponderExcluir
  16. Sábias palavras Fernando!
    Até parece que resumiu a vida de muitos neste texto...pessoas que procuram substituir a palavra comodismo pela palavra isolamento e nem percebem que não passam de amarras.
    Obrigado pelo carinho ao convidar-me p/ visitar seu blog.
    Parabéns pelos textos e pelo blog.

    ResponderExcluir
  17. amei o texto e me senti um pouco dentro dele, por causa de determinados momentos de minha vida! Parabéns pelo blog, está divino! bjksss

    ResponderExcluir
  18. Toda mudança gera um certo desconforto,seja por comodismo ou pelo medo do desconhecido que esta por vir.Temos a impressão que na chamada 'zona de conforto' temos domínio da situação,quando na verdade é ela que nos domina,nos mantendo paralisados ,assim vamos perdendo aos poucos a alegria e vontade de viver.Devemos sempre lembrar que Deus nos deu o dom de nos recriarmos a todo instante e a possibilidade de reescrevermos a nossa história a cada dia que renasce.Basta vontade e atitude!

    Parabéns pelo blog,Fernando!é uma honra estar aqui...beijos.

    ResponderExcluir
  19. Adorei Fernando! Realmente é preciso coragem para desatar nós e mudar o rumo do incerto preconceito pelo certo conceito de que somos livres para sair do comodismo! O mundo gira, a fila anda, e ficar parado no tempo...é perder um tempo precioso! A vida está ai para ser vivida intensamente, temos a liberdade de escolha, do desafio, das oportunidades. Somos pilotos do nosso destino e mesmo entre vias tortas, podemos sim, conhecer novos caminhos, novas paixões, novas emoções...reinventar...sem medo de ser Feliz!!!

    ResponderExcluir