quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Steve Jobs é louco

Assim ele era conhecido. Desde seu início quando só tinha uma ideia na cabeça.

Essa ideia cresceu. Virou empresa, presidiu-a e foi demitida. Foi readmitida! Continuou a crescer e multiplicar-se. O mercado, em outra direção, apontava-a como “louca”, mas ela persistia. Todos inverteram a direção e seguiram esse louco e sua ideia.
E as pessoas cada vez mais adoravam esse louco. E, passaram a segui-lo também, literalmente! Na era das redes sociais, Steve Jobs era o mais acompanhado! Ele e sua ideia!
E a ideia era tão forte, tão consistente, que todas as críticas a melhoravam, ou não.
Como todos os grandes homens, Steve tinha uma ideia! Todos temos ideias, são elas que nos movimentam. São elas que nos dão forma. A forma que molda nosso caminho nesta vida.
Mas por que, dentre tanta gente no mundo com ideias, apenas algumas se tornam um Steve Jobs, um Santos Dumont, uma Amelia Earhart, um Cassius Clay, um Martin Luther King ou um Gandhi?
Ideias são desperdiçadas e a nossa energia vai para outras coisas, algumas vezes para a crítica ou a lamentação. Todos nós achamos que somos mal aproveitados neste mundo, ou incompreendidos ou tantas outras coisas. Isso nos torna iguais e é natural que seja assim. Assim caminha a humanidade!
Alguns conseguem a grande virada de construir a sua ideia. E nenhum deles queria mudar o mundo. Ninguém começa a sério esse caminho achando que vai mudar o mundo, são muito humildes para tanto. A ideia é que é grande e transformadora, e é isso que muda o mundo. Raramente o autor percebe o poder de transformação de sua ideia, ao contrário, o mundo percebe esse poder e a segue!
O que será que estamos fazendo com nossas ideias? Nada de mal em não sermos um Steve Jobs e mudarmos o mundo, mas por que não mudarmos o nosso entorno, pelo menos um pouquinho ;)


video